jQuery
Brasil

Em 3 meses, obras de ampliação do aeroporto de Cuiabá avançaram 2,6%

Mayo 6, 2013

Lançadas a fim de atender a crescente demanda do turismo local em virtude da Copa do Mundo de 2014, as obras de ampliação do Aeroporto Internacional Marechal Rondon, em Várzea Grande, região metropolitana de Cuiabá, avançaram 2,67% nos três meses que se passaram desde o início dos trabalhos, em dezembro do ano passado, até 31 de março, data-base do último relatório de acompanhamento das obras da Copa feito pelo Tribunal de Contas do Estado (TCE), segundo o qual a intervenção no terminal aeroportuário já deveria ter pelo menos 13,07% de avanço.

As obras devem elevar a capacidade do aeroporto de 2,5 milhões de passageiros ao ano para 5,7 milhões. A expectativa é de que, em 2014, a demanda anual na unidade salte dos atuais 2,6 milhões para 3 milhões de passageiros. Dentre as mudanças mais perceptíveis que o aeroporto deverá sofrer estão a criação de um novo setor de desembarque e a implementação de quatro sistemas de fingers (pontes de acesso às aeronaves).

Orçadas num total aproximado de R$ 100 milhões, as intervenções foram em maior parte licitadas pelo governo do estado (montante superior a R$ 77,2 milhões), mas os contratos de execução são de responsabilidade da Infraero. O prazo determinado na licitação para término das obras é 8 de março de 2014. O consórcio vencedor da licitação é formado pelas empresas Engeglobal Construções LTDA, Farol Empreendimentos e Participações S.A e Multimetal Engenharia e Estruturas LTDA.

Atraso
Até o final de janeiro, o setor do TCE de acompanhamento das medições das obras da Copa não havia detectado ainda qualquer avanço nas obras do terminal aeroportuário. Até então, o esperado era de que a construção tivesse atingido pelo menos 1,78% de andamento, mas o que havia era um atraso de 50 dias.

De acordo com o último relatório, que já tem informações acumuladas até o dia 31 de março, o atraso se manteve igual e, naturalmente, manteve-se também o status das obras abaixo das expectativas para o período. No caso, 2,67%, mais de dez pontos percentuais a menos do esperado, mas o superintendente regional da Infraero para o Centro-Oeste, Luiz Gustavo Schild, não vê motivos para alarme.

“Os 2,67% são um número real, mas que não quer dizer absolutamente nada”, declarou o superintendente à reportagem do G1. Já era previsto, afirmou Schild, um status numericamente baixo para as obras durante os primeiros meses do ano devido à alta incidência de chuvas, as quais segundo ele dificultam o andamento de qualquer construção, e também devido ao fato de que parte significativa da transformação do Aeroporto Marechal Rondon consistir na implementação de novos sistemas e instalação de novas tecnologias de controle e gestão aeroportuária.

Os devidos equipamentos ainda não chegaram, alegou o superintendente, mas deverão representar saltos significativos no andamento das intervenções assim que o fizerem. Até o momento, dentre as novas máquinas, já estão em Cuiabá três dos quatro fingers previstos para funcionar no terminal.

Além disso, o superintendente da Infraero mencionou problemas na adaptação do projeto do aeroporto às obras do entorno, o qual deverá contar com a presença do Veículo Leve sobre Trilhos (VLT) e de sua central de operações, que deverá ser montada onde hoje se situa a Vila Militar, logo à entrada do Marechal Rondon e que, segundo Schild, já começou a ser demolida.

“Mas não é nada que, ao final, prejudique a entrega do empreendimento em março de 2014.

Agora, que acabaram as chuvas, a partir deste mês já devemos fechar em 18, 20, 25%. E, à medida em que forem concluídas as partes da obra, vamos entregando para uso. É um quebra-cabeça que a gente vai montando”, declarou.

Imagen: Reprodução/Secopa

Compartir noticia por email:
Fuente: http://www.expressomt.com.br

Síguenos en Twitter: @aerolatinnews