jQuery
Brasil

Iata: Brasil tem desaceleração por menor oferta de frequências no nacional

Septiembre 13, 2016

Os dados publicados pela Iata sobre os passageiros de transporte aéreo globais de julho mostram uma aceleração na comparação com últimos cinco meses. O número de passageiros transportados por quilómetro (RPK, porsua sigla em Inglês) cresceu 5,9% face ao ano anterior. Todas as regiões tiveram positivos crescimentos. A capacidade (assentos-quilômetros oferecidos, ASK por sua sigla em Inglês) aumentou 6,0%, e taxa de ocupação situou-se em 83,7%, 0,1 ponto percentual abaixo do nível de julho de 2015.

“Após o declínio em junho por conta das tarifas mais baixas e combustível mais barato, a demanda de passageiros se fortaleceu em julho. E, embora as taxas de ocupação – quase recordes históricos -, comprove o desejo de viajar, existem alguns fatores que devemos abordar. O impacto negativo do terrorismo na Europa, em viagens de longa distância e a estagnação dos mercados domésticos ou contração desses no Brasil e Rússia são alguns dos aspectos que nebulização demanda “, explicou o CEO da Iata, Alexandre de Juniac.

Mercado Doméstico

A demanda doméstica subiu 3,8% em julho em relação ao mesmo mês do ano anterior – ritmo mais lento em 19 meses. Os mercados domésticos na China e Índia continuam crescendo, ao contrário da estagnação de mercados como Brasil e Rússia . A capacidade aumentou 3,7% , e taxa de ocupação subiu 0,1 pontos percentuais, para 84%.

A desaceleração do tráfego doméstico no Brasil reflete , além de desestabilização econômica no país, o menor oferta de destinos e frequências por parte das companhias aéreas. Espera-se aumento na demanda em agosto por conta da realização dos Jogos Olímpicos.

Demanda Internacional

A demanda internacional de passageiros em julho subiu 7,1 %, em relação a julho de 2015 e 5% na comparação com junho. Companhias aéreas de todas as regiões registraram crescimento . A capacidade total subiu 7,3% , e taxa de ocupação diminuiu 0,2 % pontos percentuais, chegando em 83,5% .
Na América Latina, houve aumento de 7,5% ante ao ano anterior , mantendo a tendência positiva de crescimento. A capacidade aumentou 4,2% e a taxa de ocupação cresceu 2,6 pontos percentuais, alcançando 85,3% .

Europa registou o pior desempenho no setor, com um aumento na demanda de 4,1%, afetado pelo impacto negativo de ataques terroristas e da instabilidade política. O tráfego registrou uma taxa de crescimento anual de apenas 1,4%. A capacidade aumentou 4,7% , o que derrubou a taxa de ocupação em 0,5 pontos percentuais (86,7 %), mas continuou a liderar a primeira posição.

As companhias norte-americanas registaram um aumento na demanda de 4,8%. Já a capacidade cresceu 5,1 %. Como resultado, o fator de ocupação diminuiu 0,3 pontos percentuais (86,1%) . A demanda internacional de passageiros cresce a partir de março a uma taxa anual de mais de 8% ( com ajuste sazonal ) , favorecido por rotas transpacífico e as viagens turísticas para a América Central e no Caribe.

Imagen: http://www.hosteltur.com.br/138600_iata-brasil-tem-desaceleracao-conta-menor-oferta-frequencias-no-nacional-europa-registra-queda-pelo-impacto-negativo-do-terrorismo.html

Compartir noticia por email:
Fuente:

Síguenos en Twitter: @aerolatinnews