jQuery
Brasil em Portugues

Governo divulga plano do setor aéreo para a Copa das Confederações

23/04/2013

Reforço de 77%, em média, das equipes dos órgãos públicos que atuam nos aeroportos, como Polí­cia Federal, Receita Federal e Agência Nacional de Aviação Civil (ANAC); criação de Centro Comando e Controle Nacional que funcionará no Rio de Janeiro 24 horas por dia; regras para funcionamento do espaço aéreo; e exercícios simulados de recepção dos diferentes públicos nos aeroportos. Essas são algumas das medidas aprovadas nesta quinta-feira pela Comissão Nacional de Autoridades Aeroportuárias (Conaero) para que o movimento de aeronaves e de passageiros transcorra com eficiência, segurança e conforto durante a realização da Copa das Confederações.

Entre as principais medidas estão, além das citadas acima, coordenação dos aeroportos, plano de estacionamento extra de aeronaves, definição de processos e fluxos para recepção e desembaraço de passageiros, uma central de acompanhamento de todas operações realizadas nos principais aeroportos do país no período. O plano define procedimentos relacionados à recepção dos diferentes públicos que vão passar pelos aeroportos brasileiros, como Chefes de Estado, delegações e seleções de futebol, comissão de arbitragem e espectadores (turistas internacionais e domésticos). A partir dos dados coletados sobre a venda de ingressos para os jogos, a Conaero mapeou a capacidade dos aeroportos das cidades-sede, avaliando os sistemas de pista de pouso e decolagem, pátio de aeronaves e terminal de passageiros.

A maior demanda ocorrerá nos aeroportos do Rio de Janeiro, que devem receber cerca de 47 mil passageiros para a final da Copa (ver quadro abaixo). O manual considerou ainda os procedimentos de alfândega e tributação, controle migratório, segurança aeroportuária, vacinas e tratamento de armas.

Com essas informações, foi selecionada uma rede de 33 aeroportos e oito bases aéreas, classificados a partir da respectiva organização para recepção de voos VIP, internacional, doméstico e aviação geral. Assim, os aeródromos foram separados em: aeroportos de destino (diretamente relacionados à recepção do público e participantes do evento); alternativos (indiretamente relacionados à recepção ao evento, servindo como opção em situações climáticas, por exemplo); e acessórios (aqueles relacionados em virtude de grande importância no cenário nacional, recebendo número elevado de passageiros internacionais e realizando quantidade significativa de conexões com os aeroportos envolvidos no evento).

Compartir noticia por email:
Fuente: http://www.portogente.com.br/

Síguenos en Twitter: @aerolatinnews