Ahora leyendo:
Aviação desacelera, mas ainda cresce em Maio. Taxas de aproveitamento são as piores em vários anos
Toda la noticia 5 minutes read

Aviação desacelera, mas ainda cresce em Maio. Taxas de aproveitamento são as piores em vários anos

A demanda1 por viagens aéreas domésticas no Brasil em maio, na comparação com o mesmo mês do ano passado, avançou 3,90%. No histórico recente, o número mostra desaceleração do ritmo de crescimento de 6,41% apurado em abril. A oferta2 disponível em maio, por sua vez, foi 5,22% superior ao ano anterior (a variação é próxima da ampliação de 5,92% apurada em abril).

A greve de caminhoneiros, que afetou todo o Brasil no final de maio, impactou a distribuição de combustível de aviação em diversos aeroportos, levou ao cancelamento de alguns voos, afetou a demanda como um todo e dificultou o comparecimento de passageiros para embarque. Conduziu também à reprogramação de viagens que já estavam marcadas. Estes elementos causaram o descompasso entre o que foi ofertado, que é previamente dimensionado, e o que foi efetivamente utilizado. Assim, houve deterioração de 0,98 ponto percentual do fator de aproveitamento3 dos voos, que foi de 76,94% no mês. É a primeira vez em um ano que a estatística fica abaixo de 80%. É também o pior patamar verificado em 57 meses (desde agosto de 2013, quando havia sido de 74,24%). O fator de aproveitamento é indicador da eficiência das companhias aéreas, está relacionado à devida utilização dos recursos mais caros das empresas (as aeronaves).

Ao todo foram transportados 7,3 milhões de passageiros nos voos dentro do Brasil em maio, com crescimento de 4,11% sobre o volume de igual mês de 2017. Em abril o crescimento havia sido de 5,85%.

Vale lembrar que, apesar das graves complicações resultantes da greve, o setor aéreo demostrou agilidade ao montar planos de contingência. Dessa forma, respeitando todos os aspectos normais de segurança, conseguiu preservar, pelo ar, a circulação de pessoas e produtos no país. Graças aos esforços de todos os trabalhadores e parceiros, as associadas ABEAR mantiveram mais de 95% dos voos que estavam planejados para o período das paralisações. Financeiramente, as companhias arcaram com prejuízos pela queda de eficiência, com gastos adicionais para prestar assistências e manter a regularidade das operações, além de perdas por negócios que deixaram de acontecer.

Os números da ABEAR são a consolidação das estatísticas das empresas AVIANCA, AZUL, GOL e LATAM e contemplam mais de 99% do mercado doméstico.

Participação do mercado4 doméstico em maio de 2018:

GOL: 34,92%

LATAM: 32,32%

AZUL: 18,58%

AVIANCA: 14,18%

Acumulado do ano

Nos cinco meses até aqui a demanda aérea doméstica progride 4,10% para uma oferta em expansão de 3,59% ante igual período do ano anterior. O fator de aproveitamento apresenta melhoria de 0,40 ponto percentual, situado em 80,72%. As viagens realizadas somam 37,5 milhões no ano, alta de 3,37% sobre igual intervalo de 2017.

Participação do mercado doméstico no acumulado de 2018:

GOL: 35,65%

LATAM: 32,04%

AZUL: 18,42%

AVIANCA: 13,88%

MERCADO INTERNACIONAL

As estatísticas das associadas ABEAR abrangem atualmente cerca de 30% das operações aéreas internacionais envolvendo o Brasil. A parcela restante é detida por empresas de bandeira estrangeira.

A procura por viagens internacionais nas aéreas brasileiras em maio teve crescimento de 13,02% na comparação com o período equivalente de 2017. A oferta viu elevação mais expressiva, de 17,14%. O descompasso entre os crescimentos de oferta e demanda resultou em queda de 2,96 pontos percentuais do fator de aproveitamento, para 81,34%. A piora da estatística não é estranha ao momento de ampliação das operações internacionais pelas aéreas brasileiras em 2018. Mas ainda assim o desempenho fraco mostra reflexo da greve dos transportes rodoviários: o patamar de aproveitamento nesse mês de maio é o mais baixo registrado em 26 meses (desde março de 2016, quando havia sido de 77,97%).

Ao todo foram transportados 658 mil passageiros no mês em voos entre o Brasil e o exterior, número 7,40% superior ao de maio de 2017.

Participação do mercado internacional em maio de 2018 (entre as empresas brasileiras):

LATAM "“ 70,12%

AZUL "“ 15,48%

GOL "“ 7,26%

AVIANCA "“ 7,13%

Acumulado no ano

No segmento internacional, no período de janeiro a maio desse ano, as companhias brasileiras tiveram uma demanda 15,61% maior do que há um ano, com uma oferta 18,50% mais larga. O fator de aproveitamento tem diminuição de 2,08 pontos percentuais, para 83,10%. Totalizam 3,8 milhões as viagens internacionais no ano por meio das aéreas associadas à ABEAR (alta de 15,08%).

Participação do mercado internacional no acumulado de 2018:

LATAM "“ 68,40%

AZUL "“ 14,80%

GOL "“ 10,64%

AVIANCA "“ 6,16%

Cargas5

As estatísticas de carga incluem as operações das associadas AVIANCA, AZUL, GOL, LATAM e LATAM CARGO.

Esse conjunto de empresas transportou 32,3 mil toneladas de carga no mercado doméstico em maio (alta de 5,04% em relação ao mesmo mês do ano anterior) e 26 mil toneladas no mercado internacional (alta de 42,57%). Ambas as variações mostram desaceleração em relação aos resultados de abril (29,59% e 66,40%, respectivamente), refletindo impactos das paralisações nas estradas em parte do mês…

IMAGEN: Enos Moura

Compartir noticia:
Fuente: Abear
Input your search keywords and press Enter.