Please ensure Javascript is enabled for purposes of website accessibility
Ahora leyendo:
Demanda por carga aérea diminui em novembro
Toda la noticia 5 minutes read

Demanda por carga aérea diminui em novembro

A Associação Internacional de Transporte Aéreo (IATA – International Air Transport Association) divulgou os resultados dos mercados globais de transporte aéreo de carga de novembro de 2022. Segundo o relatório, a demanda diminuiu com as persistentes adversidades econômicas.

  • A demanda global, medida em toneladas de carga por quilômetro (CTKs*), caiu 13,7% em relação a novembro de 2021 (-14,2% para operações internacionais).
  • A capacidade, medida em toneladas de carga disponível por quilômetro (ACTK) ficou 1,9% abaixo da taxa registrada em novembro de 2021. Esta foi a segunda redução seguida na comparação ano a ano desse abril de 2022 (a primeira foi no mês passado, em outubro). A capacidade de carga internacional diminuiu 0,1% em relação a novembro de 2021.
  • Em relação aos níveis pré-COVID-19 (novembro de 2019), a redução na demanda global foi menor (-10,1%) e a capacidade diminuiu 8,8%.
  • Vários fatores devem ser destacados no ambiente operacional:

o Os novos pedidos de exportação, um dos principais indicadores da demanda de carga, ficaram estáveis em outubro. Para as principais economias, os novos pedidos de exportação estão diminuindo, exceto na Alemanha, nos Estados Unidos e na Coreia do Sul, onde apresentaram aumento.

o O comércio global de mercadorias cresceu 3,3% em outubro. Com a queda na demanda de carga aérea, a carga marítima pode ter sido a principal beneficiária.

o O dólar americano teve forte valorização, aumentando a pressão dos custos, pois muitos deles são definidos em dólares americanos, incluindo o combustível de aviação, que já está em níveis elevados.

o O Índice de Preços ao Consumidor nos países do G7 caiu de 7,8% em outubro para 7,4% em novembro, a maior queda na comparação mensal em 2022. A inflação nos preços ao produtor (insumos) caiu para 12,7% em novembro, seu nível mais baixo até agora em 2022.

“O desempenho da carga aérea diminuiu em novembro, quando ocorre a tradicional alta temporada. A resiliência diante das incertezas econômicas surge com a demanda relativamente estável mês a mês. Mas os sinais do mercado diferem muito. Novembro apresentou vários indicadores com potencial de alta: preços do petróleo estabilizados, inflação desacelerada e ligeira expansão das mercadorias comercializadas globalmente. Mas a redução global dos pedidos de exportação e o aumento dos casos de COVID na China devem ser monitorados com atenção”, disse Willie Walsh, diretor geral da IATA.

Desempenho por região em novembro de 2022

As companhias aéreas da região Ásia-Pacífico relataram queda de 18,6% nos volumes de carga aérea em novembro de 2022 em comparação com o mesmo mês de 2021. Esse foi o pior desempenho de todas as regiões, com queda no desempenho em relação a outubro (-14,7%). As companhias aéreas da região continuam afetadas pelos níveis reduzidos de atividade comercial e industrial e interrupções nas cadeias de suprimentos devido ao aumento dos casos de COVID na China. A capacidade disponível na região diminuiu 4,5% em relação a 2021.

As transportadoras da América do Norte registraram queda de 6,6% nos volumes de carga em novembro de 2022 em comparação com o mesmo mês de 2021. Este resultado mostra melhoria no desempenho quando comparado a outubro (-8,6%). A capacidade aumentou 0,3% em relação a novembro de 2021.

As transportadoras da Europa relataram queda de 16,5% nos volumes de carga em novembro de 2022 em comparação com o mesmo mês de 2021. Este resultado mostra melhoria no desempenho em relação a outubro (-18,8%), graças ao fortalecimento dos novos pedidos de exportação na Alemanha. As companhias aéreas da região continuam afetadas pela guerra na Ucrânia. Os altos níveis da inflação, principalmente na Turquia, também afetaram os volumes. A capacidade diminuiu 6,6% em novembro de 2022 em comparação com novembro de 2021.

As transportadoras do Oriente Médio apresentaram queda de 14,7% nos volumes de carga em novembro de 2022 versus novembro de 2021. Este resultado mostra uma pequena melhoria em relação ao mês anterior (-15,0%). Os volumes de carga de/para a Europa afetaram o desempenho da região, registrando queda de 16,3% ano a ano em novembro. A capacidade aumentou 2,1% em relação a novembro de 2021.

As transportadoras da América Latina relataram aumento de 2,8% nos volumes de carga em novembro de 2022 em relação a novembro de 2021. Esse foi o melhor desempenho entre todas as regiões. Esse resultado mostra uma melhoria significativa no desempenho em relação a outubro (-1,4%). A capacidade aumentou 2,8% em novembro em relação ao mesmo mês de 2021.

As companhias aéreas da África apresentaram queda de 6,3% em novembro de 2022 em relação a novembro de 2021. Este resultado mostra melhoria no desempenho em comparação com o mês anterior (-8,3%). A capacidade ficou 11,4% abaixo dos níveis de novembro de 2021.

Compartir noticia:
Fuente: IATA
Input your search keywords and press Enter.