Ahora leyendo:
Voar durante a pandemia: respondemos as dúvidas mais comuns dos passageiros
Toda la noticia 5 minutes read

Voar durante a pandemia: respondemos as dúvidas mais comuns dos passageiros

A recomendação dos órgãos de saúde continua sendo evitar viagens nacionais ou internacionais desnecessárias. Ainda assim, a frequência dos voos e a quantidade de passageiros só aumentou nos últimos dois meses.

Diante dessa realidade, surgem dúvidas de como estão acontecendo os voos e de quais cuidados as companhias, as autoridades aeroportuárias e os próprios passageiros devem ter durante todo o processo da viagem, que vai além do período dentro da aeronave.

Para responder as perguntas mais frequentes, consultamos médicos infectologistas, empresas aéreas e os principais aeroportos do Brasil para entender como deve ser a trajetória do viajante, do check-in ao desembarque, durante a pandemia do novo coronavírus.

VOAR DURANTE A PANDEMIA: TIRE SUAS DÚVIDAS
Como está sendo feito o check-in nos voos durante a pandemia?

As companhias aéreas brasileiras Azul, Gol e Latam recomendam que os passageiros façam o check-in online, através dos seus respectivos sites e aplicativos. Esses serviços já existiam antes do início da pandemia de coronavírus, mas tiveram uma adesão maior dos passageiros desde então.

Segundo a Gol, no passado 70% de seus clientes fazia check-in virtualmente. Hoje, o número chega a 95%. Parte desse crescimento se deve à implementação de um novo sistema da Gol em julho, que permite que os passageiros façam o check-in pelo Whatsapp.

Já a Latam lançou um atendimento remoto, no qual os clientes fazem o check-in por videoconferência. Por enquanto, o sistema só está em funcionamento no Aeroporto Santos Dumont, no Rio de Janeiro, no Aeroporto de Congonhas, em São Paulo, e no Aeroporto Internacional de Vitória.

No entanto, ainda existe a possibilidade de fazer o procedimento presencialmente, no balcão de atendimento da companhia. Para isso, os funcionários estão sendo equipados com máscaras e luvas, além de geralmente serem separados dos passageiros por escudos de acrílico. Adicionalmente, para evitar aglomerações entre os próprios passageiros, alguns os aeroportos implementaram filas transversais e marcações no chão, além de distribuírem máscaras e álcool em gel nos horários de maior movimento.

Como está sendo feito o embarque durante a pandemia?
A Gol e a Latam têm feito marcações no piso próximo aos portões de embarque para garantir o distanciamento entre os passageiros. A Azul apresentou uma proposta um pouco mais tecnológica. Composto por um conjunto de projetores e monitores, o chamado “Tapete Azul” indica aos passageiros o momento de embarcar e os posiciona a quatro metros uns dos outros por meio de realidade aumentada.

Porém, a tecnologia só foi instalada no Aeroporto Internacional Afonso Pena, em Curitiba, no Aeroporto Internacional de Viracopos, em Campinas, no Aeroporto Santos Dumont, no Rio de Janeiro, no Aeroporto Internacional de Goiânia e no Aeroporto Internacional de Recife. Nas demais localidades, a companhia apenas orienta que os clientes sigam as sinalizações de distanciamento social colocadas pelos aeroportos em questão.

A temperatura dos passageiros está sendo medida antes do embarque?

Por enquanto, não existe nenhuma recomendação no Brasil que obrigue as companhias aéreas e as autoridades aeroportuárias a fazer a medição de temperatura dos passageiros. De fato, nenhuma das companhias aéreas brasileiras está fazendo isso.

Porém, alguns aeroportos estão fazendo a medição de forma espontânea, incluindo o Aeroporto Internacional de Guarulhos, em São Paulo, o Aeroporto Internacional Tom Jobim, no Rio de Janeiro, e o Aeroporto Internacional de Brasília.

A medição pode acontecer individualmente, com um funcionário apontando o termômetro para a testa de cada passageiro, ou através de câmeras termográficas, que à distância medem a temperatura de até 30 pessoas ao mesmo tempo.

O passageiro pode levar álcool em gel na bagagem de mão durante a pandemia?
A regra não mudou desde o início da pandemia do novo coronavírus: a Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) determina que os passageiros podem sim transportar álcool em gel na bagagem de mão, desde que a embalagem não ultrapasse 500 ml nos voos domésticos e 100 ml nos voos internacionais. Já o álcool líquido não é permitido e pode ficar retido no raio-X.

Qual o tamanho da embalagem em álcool em gel que pode levar na bagagem?
Nos voos domésticos, os passageiros podem transportar álcool em gel em embalagens de até 500ml, independentemente de ser bagagem de mão ou na despachada. Já nos voos internacionais, é permitido transportar álcool em gel em embalagens de até 100ml na bagagem de mão e de até 500ml na bagagem despachada.

O que acontece se o passageiro apresentar febre antes de embarcar?
O Aeroporto Internacional de Guarulhos, em São Paulo, o Aeroporto Internacional Tom Jobim, no Rio de Janeiro, e o Aeroporto Internacional de Brasília são alguns dos aeroportos do Brasil que estão fazendo a medição da temperatura dos passageiros.

Conforme a orientação da Anvisa, se um passageiro for identificado com febre a partir de 37,8ºC ele será convidado a dirigir-se ao posto médico do aeroporto. Caso ele apresente outros sintomas relativos à Covid-19, os paramédicos dos terminais recomendarão a ida a um hospital público ou particular de sua preferência, antes de seguir viagem…

Compartir noticia:
Input your search keywords and press Enter.