Ahora leyendo:
Aero Amazonas: Infraero e Governo do Estado firmam parceria para desenvolvimento da aviação regional no Amazonas
Toda la noticia 4 minutes read

Aero Amazonas: Infraero e Governo do Estado firmam parceria para desenvolvimento da aviação regional no Amazonas

A Infraero e o Governo do Estado do Amazonas assinaram nesta quinta-feira, 22/07/21, em Brasília (DF), o Protocolo de Intenções “Projeto Aero Amazonas”. O objetivo da parceria é a Infraero prestar apoio técnico ao Governo do Estado do Amazonas para desenvolvimento de aeródromos regionais.

A Infraero destacará equipe técnica para realizar levantamentos preliminares, enquanto a Secretaria de Estado de Infraestrutura e Região Metropolitana de Manaus (Seinfra) vai elaborar os Termos de Compromisso com os municípios para repasse de recursos, a fim de que eles contratem os estudos e os projetos necessários. O Estado do Amazonas, com apoio da Infraero, buscará recursos junto à Secretaria de Aviação Civil (SAC) para viabilizar os empreendimentos que estejam alinhados às diretrizes do Plano Aeroviário Nacional (PAN).

Com a formalização do Protocolo de Intenções, que é a fase de obtenção de subsídios para assinatura de Termo de Cooperação, a Infraero está autorizada a iniciar os procedimentos para modelagem e formatação da proposta de parceria para execução de serviços técnicos especializados necessários à adequação da infraestrutura dos respectivos aeródromos.

“Temos um extenso currículo de prestação de serviços ao Estado do Amazonas. A expertise da Infraero no segmento de infraestrutura aeroportuária garante ao Estado a prestação de um serviço de qualidade orientado para o pleno atendimento de suas demandas”, afirma o presidente da Infraero, Brigadeiro Paes de Barros.

Para o governo do Amazonas, Wilson Lima, as análises realizadas pela Infraero permitirão a definição de priorização de investimentos e futuros projetos para o desenvolvimento da rede aeroportuária estadual.

“O Amazonas é um estado com dimensões continentais. Essa parceria com a Infraero é fundamental para implantarmos a infraestrutura necessária nos aeródromos com o objetivo reduzimos o isolamento entre o interior e capital e entre o interior e o restante do país. É importante não apenas para garantir o direito de ir e vir, mas, também, do ponto de vista econômico e para proporcionar o acesso do homem e da mulher do interior aos serviços, especialmente o de alta complexidade na saúde, hoje disponível na capital”, disse o governador Wilson Lima.

Há 13 aeródromos em oito calhas do Amazonas. Para nove deles já foi firmado convênio de delegação entre o Governo do Amazonas e a SAC: Manaus, Carauari, Fonte Boa, Lábrea, Maués, Nova Olinda do Norte, Barcelos, Eirunepé e Manicoré.

Com o convênio, a administração desses aeródromos passa a ser mista, ou seja, pelo Governo do Estado, por meio da Seinfra, e prefeituras. As gestões municipais ficam responsáveis por fazer a administração local com fornecimento de pessoal e a Seinfra fiscaliza e injeta recursos para o desenvolvimento da estrutura aeroportuária, como reforma de pista e do terminal de passageiros.

Outros quatro aeródromos estão em processo de elaboração de convênio de delegação: Itacoatiara, Anori, Santo Antônio do Içá e Borba. Estão em elaboração os projetos dos aeródromos de Fonte Boa, Itacoatiara e Maués.

O Protocolo de Intenções entra em vigor a partir da data de sua publicação no Diário Oficial da União e terá vigência de 24 meses, podendo ser prorrogado uma vez, por igual período

INFRAERO

A Infraero já presta serviços ao Estado do Amazonas por meio da gestão própria dos aeroportos de Manaus, Tabatinga e Tefé, todos já arrematados na 6ª Rodada de Concessões, em abril de 2021, com previsão de transferência à iniciativa privada ainda esse ano. Além disso, a Empresa foi contratada, em março último, pelo Ministério da Infraestrutura, por meio da Secretaria de Aviação Civil (SAC), para preparar as ações necessárias à abertura ao tráfego aéreo regular de três aeroportos amazonenses: Fonte Boa, Itacoatiara e Maués.

A Companhia tem 48 anos e atua como braço executor de políticas públicas para a aviação civil, com a finalidade de implantar, administrar, operar e explorar industrial e comercialmente a infraestrutura aeroportuária. Sua rede é composta, atualmente, por 43 aeroportos, incluindo os 22 leiloados em abril/21, além de 5 contratos de gestão e operação junto a Estados e Municípios.

A Empresa tem presença nacional e expertise consolidada para oferecer serviços de ponta-a-ponta da infraestrutura aeroportuária, ou seja, desde o projeto, passando pela obra de engenharia, pela gestão e a própria operação, além de oferecer treinamento técnico e desenvolvimento de soluções digitais.

Compartir noticia:
Fuente: Infraero
Input your search keywords and press Enter.