Please ensure Javascript is enabled for purposes of website accessibility
Ahora leyendo:
GOL consolida retomada no 3T22 com margem EBITDA de 17,3% e recorde de receita líquida e yield
Toda la noticia 13 minutes read

GOL consolida retomada no 3T22 com margem EBITDA de 17,3% e recorde de receita líquida e yield

A GOL Linhas Aéreas Inteligentes S.A. (“GOL” ou “Companhia”) (B3: GOLL4 e NYSE: GOL), a maior Companhia aérea doméstica do Brasil, disponibilizou o seu resultado consolidado do terceiro trimestre de 2022 (3T22). Nesse período, com sua Administração atuando assertivamente na gestão da capacidade e no aumento da produtividade, a Companhia registrou o maior yield da sua história, a mais alta receita operacional líquida em um trimestre e retornou seus custos unitários ex-combustível aos níveis pré-pandemia.

Celso Ferrer, Diretor-Presidente, comentou: “Meu foco principal é entregar valor aos nossos Clientes no atual cenário econômico. Acredito que podemos conseguir isso aproveitando ainda mais os pontos fortes inerentes da GOL em seu modelo de negócios flexível e eficiente em custos. Assim, nos últimos três meses fortalecemos iniciativas para aumento de produtividade, consistência em nossas operações e serviço aos nossos Clientes. Agradeço ao nosso Time de Águias, aos nossos Clientes e aos nossos Fornecedores e Parceiros pelo apoio na obtenção desse objetivo.”

Todas as informações nesse release são apresentadas em Reais (R$), de acordo com as normas internacionais de contabilidade (IFRS) e com métricas ajustadas, disponibilizadas para possibilitar a comparabilidade desse trimestre com o mesmo período do ano anterior (3T21). Indicadores ajustados (recorrentes) excluem os gastos não recorrentes relacionados ao resultado do trimestre, e estão detalhados nas respectivas tabelas.

Sumário dos Resultados do Terceiro Trimestre de 2022

· O número de Passageiro-Quilômetro Transportado Pago (RPK) aumentou 41%, enquanto o total de Assento-Quilômetro Ofertado (ASK) cresceu 41,3%;

· A Receita Líquida aumentou 109.4%, atingindo R$4,0 bilhões. As Receitas Auxiliares, principalmente de SMILES e GOLLOG, cresceram 69,3% para R$250 milhões;

· A taxa de ocupação média e doméstica (load factor) ficou estável em 81%. A taxa de ocupação internacional foi de 84,3%;

· A utilização das aeronaves foi de 11,1 horas por dia, um ganho de 9% de produtividade;

· O número de passageiros transportados pela Companhia foi de 6,9 milhões, um aumento de 39,2%;

· A Receita Líquida por Assento-Quilômetro Ofertado (RASK) evoluiu 48,2% para 39 centavos (R$);

· O yield médio por passageiro cresceu 50,9% para 45 centavos (R$), maior patamar da história da GOL;

· O Custo por Assento-Quilômetro recorrente aumentou em 6,5% para 36,45 centavos (R$). O CASK Combustível cresceu 87,9% para 17,36 centavos (R$), devido ao aumento de 91,3% nos preços do querosene de aviação (QAV). O CASK Ex-Combustível recorrente reduziu em 23,6% para 19,09 centavos (R$) que quando convertido em dólar registrou 3,60 centavos (US$) , um patamar menor que o mesmo trimestre de 2019;

· O EBIT recorrente foi R$261,7 milhões com margem de 6,5%, enquanto o EBITDA recorrente foi de R$695,2 milhões com margem de 17,3%;

· As atividades operacionais geraram aproximadamente R$0,5 bilhão no 3T22 decorrente do maior volume de faturamento e de iniciativas de capital de giro, parcialmente compensado pela alta do querosene da aviação;

· O Prejuízo Líquido recorrente foi de R$596,2 milhões (-R$1,94/ação e -US$0,75/ADS); e

· A relação dívida líquida (incluindo 7x os pagamentos de arrendamento anuais e excluindo o bônus perpétuo) sobre o EBITDA recorrente UDM foi de 9,1x em 30/09/2022, uma redução de 2,0x em função do crescimento do EBITDA recorrente (+70%) nos últimos 12 meses, que mais do que compensou o aumento de 52% na dívida líquida ajustada.

Comentários da Administração

O terceiro trimestre foi caracterizado pela retomada de níveis mais altos de taxas de ocupação, após a desaceleração observada ao final do 2T22. Os resultados da GOL nesse período demonstram o crescimento sustentável da receita por gerenciamento eficiente dos yields, e a redução dos custos unitários, decorrentes do plano de renovação de frota da Companhia, eficiência nos programas de redução de custo fixo, e plano de retomada da sua capacidade. Isso compensou parcialmente os efeitos causadas pelo dólar americano forte e pela inflação.

Durante o trimestre, a Companhia deu sequência ao seu foco de aumento na rentabilidade dos seus voos, por meio de investimentos em capital humano e tecnologia. A GOL também aumentou sua flexibilidade financeira com uma nova linha de crédito competitiva em custos, que reduz o caixa necessário para renovação de frota e o crescimento nos próximos anos.

Verificamos a recuperação da demanda durante o terceiro trimestre e a GOL retomou mais voos e ampliou sua malha. A Companhia entrou no quarto trimestre – sazonalmente de maior demanda – com uma combinação favorável de fortes curvas de reservas de passagens futuras, ambiente econômico menos volátil, recuperação do segmento corporativo, e retomada da frota operacional em patamares pré-pandemia. Todos esses fatores são importantes para ganhos progressivos de produtividade e diluição de custos.

Receita Líquida Trimestral Recorde

Por meio de sua gestão disciplinada de capacidade, a GOL aumentou a oferta em cerca de 14% durante o trimestre, comparativamente ao 2T22, obteve um crescimento de 4,5% no yield além de um incremento no seu load factor para patamares acima de 81%.

Esta combinação propiciou receita líquida recorde de R$4,0 bilhões, mais que o dobro da receita registrada no 3T21 e 8% maior comparada ao 3T19. O programa de fidelidade SMILES apresentou crescimento em faturamento de 102% comparativamente ao 3T21, sendo que a base de Clientes obteve um crescimento de 24% versus o mesmo período de 2019, demonstrando o alto valor agregado do programa e fortalecimento da fidelização por parte dos passageiros.

Eduardo Bernardes, Chief Revenue Officer, comentou: “Neste trimestre focamos em consolidar nossa base de receitas e adaptar nossa malha aérea doméstica para voos mais rentáveis e com taxas de ocupação saudáveis durante a alta temporada. Ao mesmo tempo, o crescimento controlado de nossa oferta permitirá a expansão das receitas auxiliares que ainda apresentam oportunidade de se igualarem os mesmos patamares de crescimento dos yields.”

Ciclo de Redução nos Custos Unitários e Aumento de Produtividade

Este trimestre foi impactado pelo efeito combinado do aumento nas cotações de petróleo e desvalorização do Real ao final do 2T22 que resultou no maior preço por litro de combustível da história da indústria, com aumento de 9% no comparativamente ao trimestre anterior. Em relação ao 3T21, o QAV apresentou acréscimo de 91,3% e o custo unitário de combustível (CASK combustível) cresceu 87,9%.

O custo unitário excluindo combustível (CASK ex-combustível) da GOL apresentou redução de 23,6% versus 3T21 e quando traduzido em dólar registrou uma redução de 23,9% na mesma base de comparação e redução de 4,5% quando comparado com o 3T19 mesmo com uma oferta 23,3% inferior àquele período. A GOL foi o único player que preservou a sua oferta ao longo dos primeiros nove meses do ano e agora planeja a retomada equilibrada com patamares saudáveis de demanda ao final de 2022. Com isso, espera ampliar ainda mais a sua principal vantagem competitiva aliando o menor custo unitário entre seus pares de forma a gerar uma recuperação mais acelerada de suas margens operacionais, bem como estimular o mercado doméstico de lazer com uma malha aérea mais ampla.

Dois índices de produtividade demonstram o foco da Companhia em melhorar sua vantagem competitiva em custo. Os custos de arrendamento por ASK refletem uma vantagem superior a 40% versus os principais competidores. O modelo de negócio da GOL permite à Companhia ter historicamente a melhor relação de ASK gerado por dólar pago em arrendamento da região. O consumo de combustível por ASK produzido, também resultou em uma vantagem superior a 13% no 2T22, e será expandido à medida que o plano de renovação de frota para o Boeing 737-MAX alcance as 44 aeronaves previstas para o final de 2022.

SMILES Continua a Crescer e Atinge Recorde de Faturamento e Milhas Resgatadas

O maior programa de milhagem da indústria aérea brasileira alcançou novos recordes. No 3T22, o faturamento da SMILES superou o patamar de R$1,2 bilhão, 26% superior ao trimestre anterior. Mais de 47 bilhões de milhas foram resgatadas no trimestre, um aumento de 10% comparativamente ao 2T22.

Durante o 3T22 a base de Clientes no Clube SMILES registrou aumentos de 8% versus 3T21 e 24% quando comparado ao mesmo período de 2019, demonstrando um potencial ainda maior à medida que a GOL recupere o volume de sua operação. Outras sinergias importantes da re-incorporação, como a fiscal/tributária e de revenue management, também continuaram a ser capturadas pela Companhia.

“Estamos otimistas com os consecutivos recordes atingidos pela SMILES. As sinergias operacionais e financeiras geradas pela reincorporação do programa de fidelidade serão potencializadas com as parcerias firmadas junto às instituições financeiras,” comentou Carla Fonseca, Diretora de Experiência do Cliente e Presidente da SMILES.

Ampliação da Malha e Expansão das Parcerias

Durante o terceiro trimestre, em linha com o aumento da demanda, a GOL manteve o ritmo de crescimento sustentável com aumento no número de mercados atendidos e rotas operadas, principalmente no mercado doméstico, assim como expansão de frequências nas rotas já em operação e acordos com novos parceiros. ASKs subsequentemente aumentaram em 14% comparativamente ao trimestre anterior.

No mercado doméstico, a Companhia liderou a retomada de capacidade nos aeroportos mais importantes da região Sudeste, Congonhas em São Paulo e Santos Dumont, no Rio de Janeiro, com aumento de 9% e 17% de oferta medida em ASK, respectivamente. Tais movimentos permitem que a GOL seja ainda mais competitiva nos dois maiores mercados locais do país, com presença relevante em rotas de alto volume de Clientes voando tanto a lazer quanto a negócios.

No internacional, a GOL fortaleceu as rotas de Brasília para Orlando (MCO) e Miami (MIA) nos Estados Unidos, e lançou duas novas rotas – Manaus-Miami e Fortaleza-Miami – que serão operadas a partir de dezembro. Na América do Sul, foi ampliada a oferta de voos entre São Paulo e Buenos Aires, e retomados voos diretos à capital argentina a partir de Fortaleza.

Para o transporte aéreo de cargas, foi inaugurada a primeira malha regular totalmente dedicada à parceria com o Mercado Livre (Meli), utilizando com uma frota de duas aeronaves cargueiras Boeing 737-800F para ligar os Aeroportos de Guarulhos e Fortaleza. Até o final do ano a malha aérea será expandida para outras seis cidades: Teresina, São Luís, João Pessoa, Recife, Brasília e Porto Alegre. O investimento da Companhia no segmento de cargas e a parceria com a Meli trazem incremento de receita unitária (RASK) e menores custos com devolução de aeronaves.

“Este trimestre foi marcado por importantes movimentos de retomada de nossa malha, aumento das parcerias com outras linhas aéreas e crescimento das nossas receitas. Pudemos observar o consistente aumento de produtividade gerado pelo Boeing 737-MAX, nos auxiliando na redução de custos. Temos convicção de que essa transformação da frota combinada com a nossa gestão de capacidade são diferenciais competitivos em todos os mercados que entrarmos, por nos proporcionar o mais baixo custo e assim permitir maior estímulo a demanda,” disse Celso Ferrer.

Novas Iniciativas e Atualização do Plano de Transformação de Frota

No 3T22, a GOL recebeu três novas aeronaves Boeing 737-MAX 8, mantendo o ritmo do seu plano de renovação de frota. Desta maneira, a GOL encerrou o trimestre com 145 aeronaves, sendo 37 (26% do total) 737-MAX 8. Durante o terceiro trimestre, a Companhia devolveu duas aeronaves Boeing 737-NG.

Em setembro, a Companhia finalizou um financiamento de nove motores spare produzidos pela CFM International, para equipar as aeronaves Boeing 737-NG e Boeing 737-MAX da frota. A transação com a Apollo PK AirFinance, com taxas competitivas de juros, cobrirá a totalidade dos custos de aquisição dos motores, descontados dos adiantamentos (pre-delivery payments) já realizados pela GOL. Alguns motores já foram recebidos e, além de auxiliarem na flexibilidade da frota operacional da Companhia, também fortalecem o balanço patrimonial da GOL com a geração de ativos.

Em outubro, GOL e Boeing assinaram um acordo envolvendo o recebimento de seis aeronaves Boeing 737-MAX 8 até 1T23, com re-entregas de 737 NG, e 12 Boeing 737-MAX 10 adicionais entre 2027 e 2030, reforçando o plano de aceleração da transformação de frota com equipamentos mais eficientes.

Investimentos no Aprimoramento da Experiência do Cliente

O 3T22 registrou avanços importantes para o aperfeiçoamento na experiência dos Clientes, alinhados ao pilar de proximidade e fortalecimento no segmento corporativo de alto valor agregado. O NPS da Companhia, seu principal indicador de satisfação do Cliente, apresentou aumento de 5 p.p. em relação ao 3T21.

Desde 1/7/2022, em parceria com a SMILES, os Clientes GOL podem utilizar o aplicativo de mensagens WhatsApp gratuitamente nos voos da Companhia, serviço que foi premiado recentemente pela APEX – Airline Passenger Experience Association. Durante o mês de agosto, a GOL também começou a disponibilizar embarque com reconhecimento facial aos seus Clientes pelo app da Companhia, inicialmente a partir dos aeroportos de Congonhas (CGH) e Santos Dumont (SDU).

Desenvolvimentos na Pauta de ESG

Em agosto, a Companhia inaugurou uma nova estrutura interna, totalmente dedicada aos desenvolvimentos e relatórios ESG, que se reporta ao C-Level da GOL. Sua missão é trazer maior clareza e ação às iniciativas ESG da Companhia, elaborando não apenas um plano claro e abrangente para o alcance das metas, mas também monitorando as iniciativas já em andamento. Os Executivos e Administradores da GOL passaram a ter também uma meta corporativa relacionada aos indicadores ESG, que fará parte do componente variável de sua remuneração anual.

Em 1º de setembro de 2022, a GOL comemorou um ano de seu primeiro voo onde a emissão total de carbono foi compensada pela Companhia em parceria com a MOSS. Nos primeiros 12 meses, essa iniciativa inédita compensou mais de 7.290 toneladas de CO2. Durante o trimestre, a GOL também iniciou o projeto Paperless Cockpit, que visa digitalizar os documentos da operação, evitando o consumo de aproximadamente 6 milhões de folhas de papel por ano e a evolução do processo de certificação IenvA fase 2 da GOL, que está em fase final de análise.

Compartir noticia:
Fuente: GOL
Input your search keywords and press Enter.