Ahora leyendo:
Infraero planeja retomada de voos de grande porte no aeroporto da Pampulha
Toda la noticia 3 minutes read

Infraero planeja retomada de voos de grande porte no aeroporto da Pampulha

Após vetos da Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) para aeronaves de maior porte no Aeroporto da Pampulha, a Empresa Brasileira de Infraestrutura Aeroportuária (Infraero), que administra o terminal, se movimenta para obter o sinal verde do órgão regulador e concretizar a volta dos voos comerciais com mais de 100 assentos para o local.

A estatal quer espantar o ar fantasma que tomou conta do aeroporto desde a saída da Azul, em abril deste ano, e espera atrair 1,5 milhão de passageiros já em 2017.

Para 2018, a estimativa é chegar a 2,2 milhões, número equivalente à capacidade atual da Pampulha. Os dados constam em e-mail enviado pela Gerência Comercial do aeroporto, em que prospecta novos negócios e fala em oportunidades para empresas no terminal.

O documento, obtido pelo jornalista Celso Martins, do blog Tudo de Viagem, cita o "processo de retomada de voos com aeronaves mais exigente" (jatos Boeing, Airbus e Embraer), utilizados pelas companhias Latam, Gol, Avianca e Azul. A autenticidade do e-mail foi confirmada por telefone pelo gerente de Negócios Comerciais, José Lúcio Rocha.

Para atender bem à futura clientela e movimentar o aeroporto, hoje quase às moscas, obras de melhoria na infraestrutura estão em curso.

Investimentos

Serviços como reforma dos sanitários, instalação das novas sinalizações do sistema de pistas e luzes de cabeceira e renovação de balcões de check-in devem ser concluídos até o final deste ano. Também está programada a instalação de uma lanchonete popular.

Em nota, a Infraero informou que a pista de pouso e decolagem e pátios do aeroporto estão aptos para atender a demanda de aeronaves até Código C (Embraer 190, Airbus 318, Boeing 737-700).

No entanto, a autorização para o tipo de aeronave que opera em um aeroporto é fornecida pela Anac, e, até o momento, não há autorização por parte do órgão para qualquer operação com esses equipamentos ou para a oferta de novos voos regulares.

A estatal disse ainda que já solicitou a certificação operacional do Aeroporto da Pampulha e aguarda resultado do relatório de vistoria feita pela Anac no final de setembro. Com esse documento, a Infraero será informada sobre a necessidade de possíveis ajustes na infraestrutura já disponível.

Rombo

A situação do Aeroporto da Pampulha se agravou em 2007, quando foi fechado para jatos e aviões de grande porte. A mudança fez parte do processo de transferência das operações iniciado em 2005, a partir de um acordo entre Anac, governo de Minas e Prefeitura de Belo Horizonte.

De lá pra cá, o terminal dedicou-se à aviação regional. Mas em abril deste ano, a Azul, que utilizava aeronaves com 70 lugares, encerrou as atividades no local. Lojas e até a cafeteria fecharam as portas. No acumulado de janeiro a setembro deste ano, o prejuízo da Pampulha beira os R$ 18 milhões…

Compartir noticia:
Input your search keywords and press Enter.