Ahora leyendo:
Turismo no Brasil voltará a níveis normais somente no fim de 2021
Toda la noticia 2 minutes read

Turismo no Brasil voltará a níveis normais somente no fim de 2021

O setor de Turismo no Brasil vai voltar ao nível normal de produção, isto é, aos números do final do ano passado, entre setembro e dezembro de 2021. Os dados são da FGV Projetos, que lançou o estudo Impacto Econômico do Covid-19, Propostas Para o Turismo Brasileiro.

O material faz a análise contando com o início da reabertura da economia em maio; retomada gradual das viagens domésticas entre setembro e outubro; estabilização das viagens de negócios e eventos a partir de fevereiro de 2021; e a volta do Turismo internacional em junho de 2021.

As análises são do setor de hospitalidade, transportes, bares e restaurantes, agenciamento e operação de viagens, aluguel de imóveis, atividades recreativas, entre outros itens.

«Consideramos o período de interrupção de atividades de três meses, quando terá início o reequilíbrio dos negócios (estabilização) no Brasil, que durará cerca de 12 meses, uma vez que a saúde financeira dos negócios e das famílias estará comprometida. No caso do Turismo internacional, o período de recuperação poderá chegar a 18 meses», aponta FGV Projetos.

AGENCIAMENTO É O MAIS ATINGIDO
Atividades de agências e organizadores de viagens é a categoria mais atingida, segundo o estudo, acompanhada de perto pelos transportes rodoviário e aéreo e pela categoria «Outros transportes e serviços auxiliares dos transportes». Os bares e restaurantes foram os menos afetados, mas ainda assim com uma queda média de quase 60% na produção.

Dado este cenário, as perdas econômicas, em comparação ao PIB do setor em 2019, totalizarão R$ 116,7 bilhões no biênio 2020-2021, uma queda de 21,5% na produção total do período. Para compensar o prejuízo, será necessário que o Turismo como um todo cresça em média 16,95% ao ano em 2022 e 2023, com PIB de, respectivamente, R$ 303 bilhões e R$ 355 bilhões.

«Esse crescimento definitivamente não é tarefa fácil», avaliam os especialistas. «O mercado de viagens é um dos setores mais afetados pela crise, pois a política de isolamento resultante das medidas de contenção ao contágio pelo novo coronavírus afeta frontalmente a dinâmica econômica do setor, restando quase nenhuma possibilidade receita»…

Compartir noticia:
Input your search keywords and press Enter.