Ahora leyendo:
Cidade Grupo se reúne por paixão pela aviação no Aeroporto Internacional de Fortaleza
Toda la noticia 4 minutes read

Cidade Grupo se reúne por paixão pela aviação no Aeroporto Internacional de Fortaleza

Fotos, vídeos e conhecimento sobre aviões e aeroportos são compartilhados por grupo cearense de aficionados. Paixão é o que move o ser humano a fazer coisas, muitas vezes, incompreendidas. “As pessoas podem mudar de tudo: de cara, de casa, de família, namorada, religião, de Deus. Mas tem uma coisa que não se pode mudar. Não se pode trocar de paixão.”. O trecho, do filme ‘O segredo de teus olhos’, de Joan José Campanella, é perfeito para definir o que move os membros do grupo TMA Fortaleza, cuja paixão está nos céus, a quilí´metros de distância de suas lentes fotográficas. Apaixonados por aviões, os membros do grupo fotografam e catalogam as aeronaves que passam pela cidade.

Passatempo predileto do grupo é apontar as câmeras para as aeronaves que passam pelo Aeroporto Internacional Pinto Martins. FOTO: REPRODUÇÃO/FACEBOOK

O ‘Plane spotting’ como modo de vida Viver “olhando para cima”. Os membros do grupo TMA Fortaleza são apaixonados por aviões, e seu passatempo predileto é apontar as câmeras para as aeronaves que passam pelo Aeroporto Internacional Pinto Martins. Em alguns casos, os aficionados conseguem chegar bem perto dos aviões que pousam e decolam em solo cearense. O material produzido, fotos, vídeos e informações, é compartilhado em uma fanpage noFacebook. O grupo conta ainda com um site e um blog, com o mesmo nome, e claro, o mesmo tema.

Além das fotografias, os aficionados fazem ainda transmissões online ao vivo da movimentação na pista do Aeroporto. Quando a aeronave da Air France teve de fazer um pouso de emergência médica em Fortaleza, na última semana, por exemplo, o grupo postou imagens do momento em que o avião pousou e de quando decolou.

A prática do Plane Spotting é pouco comum no Brasil, onde tem mais adeptos em São Paulo. Os praticantes costumam visitar os Aeroportos para fotografar e catalogar as aeronaves. Quando aSeleção Brasileira rodou o Brasil, pela Copa das Confederações, o grupo sabia exatamente quando e onde os jogadores iriam pousar. E quando o papa Francisco veio ao País para aJornada Mundial da Juventude, o grupo também conseguiu localizar e identificar a aeronave do santo padre sobrevoando o território brasileiro.

Na internet é possível encontrar algumas das ferramentas utilizadas por quem gosta de aviação. Há vários links disponíveis para escutas das torres de controle e um radar online, que mostra as rotas das aeronaves. Já o grupo TMA Fortaleza disponibiliza no site um link para streaming noturno ao vivo direto da pista de pouso do Aeroporto Internacional Pinto Martins, na Capital cearense.

Infraero nega irregularidade em atividade

A Empresa Brasileira de Infraestrutura Aeroportuária (Infraero) afirma que costuma autorizar o grupo a fotografar, acompanhados de funcionários do Aeroporto. O que a empresa não sabia era da existência das transmissões ao vivo. Entretanto, a Infraero negou qualquer irregularidade.

De acordo com a Empresa, os aficionados utilizam “equipamento próprio e fazem as imagens de um local público”, afirmando que, desta forma, “não há nada de errado”, citando ainda que “eles sempre pedem autorização” para fotografar em locais reservados à prática da fotografia de aeronaves.

Prática é normal em aeroportos pelo mundo

A Infraero informou que a prática de fotografar nas pistas é comum em vários aeroportos. “Isso existe em todos os aeroportos do mundo. Eles têm vários pontos fora da nossa área operacional e ficam em vários ângulos para pegar imagens. Eles pedem autorização para fotografar e são acompanhados pela segurança. Eles nunca entram em área restrita sem acompanhamento”, garantiu a Infraero.

Contatada pela Redação Web do Diário do Nordeste, a Agência Nacional de Aviação Civil (ANAC), afirmou que a responsabilidade da entrada dos aficionados é inteira do aeroporto. “A regulamentação do setor dispõe que a responsabilidade sobre as áreas restritas do aeroporto é do operador, bem como a entrada de pessoas e objetos”, afirmou, em nota.

Especialista não vê problema

Para o professor de Aeroportos e Segurança do Instituto Tecnológico da Aeronáutica (ITA), Claudio Jorge, “não há problema” na presença e ação do grupo, desde que respeitem a distância de 150 metros da pista de pouso de decolagem do Aeroporto.( …)

Ver más

Foto: Diario Do Nordeste

Compartir noticia:
Input your search keywords and press Enter.